quarta-feira, setembro 14, 2011

Oh Deus,


escusavas ter levado o meu pai. Mesmo. Porquê isto agora?? Porquê ele? Eu até rezei, foi por ter rezado? Foi por ter pensado que ele ía ficar bem?


Deus, ainda bem que para mim és hipotético, senão até te odiaria.




Pai,


espero que estejas bem aí onde estás agora. Lamento muito, mesmo, não termos tido uma boa relação pai-filha. Arrependo-me...


Disse-me o Amor para me lembrar apenas dos bons momentos, mas os nossos bons momentos foram passados não tinha eu 6 anos, isso deixa-me triste.


Será que gostavas de mim? Será que me achavas uma inútil que gastava o teu dinheiro?


Será que se tivesses sobrevivido, tentarias ter uma melhor relação comigo?


Coisas que nunca saberei... Meu pai, como me arrependo.


Nada mais posso fazer, senão dizer-te: descansa em paz.


:'(

4 comentários:

A Minha Essência disse...

Beijo na alma em ti.

Heartless disse...

Um beijo menina. Sê forte

Cinnamon =/ disse...

Oh meu amor... como te compreendo tão bem, mas quero pedir-te um favor: não te culpes e não te martirizes! tu não és inutil e o teu pai sabia-o, acreditando sempre em ti, mesmo que em segredo ;), e eu sei que nestas coisas de relações pai-filha é fácil ficarmos com os remorsos, mas querida por favor, não te culpes. Uma relação, seja ela qual for, é sempre vivida a dois, ou até mais [depende do tipo de relação], portanto se há mágoas e rancores, são de ambas as partes! Eu queria mesmo poder resolver tudo isto para ti: ter uma borracha, passar o tempo para a frente mais depressa..nem sei, o que preferisses! Mas não te arrependas, sim?

A saudade é sinal de Amor, ee se houve amor, então é bom =).

Eu sei que a dor...bem a dor... e a dor de "e se eu tivesse dito isto ao meu pai...". ou "Será que ele sabe e acredita que gosto mesmo dele?". Oh linda bem sei... mas eles sabem, e o teu pai sempre o soube ;)***

Beijinho com miminho*

Marta disse...

Lamento imenso a tua perda, mas não te culpes... Tal como todos os pais, ele devia adorar-te e ter orgulho na filha que tem, aliás, muito orgulho. Sigo o teu blogue assiduamente e acho que ele tinha razões para ter sido um pai babado :)
Força!